Notícias

02/09/2020

Deltan Dallagnol se desliga da "lava jato"

O procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da "lava jato" no Paraná, está se desligando da investigação, que integrou por seis anos (desde o início dos trabalhos). A informação foi confirmada pelo MPF-PR. O motivo de desligamento se refere a questões de saúde na família do procurador. 

Com a saída anunciada, o procurador da República no Paraná Alessandro José Fernandes de Oliveira deve assumir as funções exercidas por Dallganol. 

A permissão para a "lava jato" continuar seus trabalhos expira no próximo dia 10. O procurador-Geral da República, Augusto Aras, é que vai decidir pela renovação.

Na última terça-feira (25/9), o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) decidiu não abrir processo administrativo disciplinar (PAD) para investigar a conduta de Deltan Dallagnol no "episódio do PowerPoint" — em setembro de 2016, os integrantes da "lava jato" paranaense, ao exibir slide durante uma apresentação à imprensa, disseram que o ex-presidente Lula chefiava organização criminosa. O julgamento do caso já havia sido adiado 42 vezes. Como as penas que poderiam resultar do PAD já estavam prescritas, os conselheiros decidiram não dar continuidade ao caso.

No entanto, no mesmo julgamento, o CNMP acolheu parte dos pedidos da defesa de Lula, proibindo que Dallagnol e outros dois procuradores utilizem para fins políticos ou políticos-partidários os equipamentos, instalações e recursos do MPF. Além disso, apesar da não abertura do PAD, a maioria dos conselheiros sinalizou que a conduta de Dallagnol no episódio foi reprovável.

Fonte: Conjur